• White Facebook Icon

“De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” - 2Timóteo 3.12

 

Para a maioria dos cristãos ao redor do mundo pensar em uma igreja que sofre parece algo fora do comum, ou então, quando pensamos em perseguições, prisões e mortes de cristãos por causa da fé em Jesus ou sofrimentos relacionados a decisão de seguir ao Senhor, logo vem em mente as histórias bíblicas do livro de Atos. Porém a realidade vivida por muitos cristãos, é bem diferente do que pensamos, pois todo esse quadro de sofrimento e dor por causa da fé em Jesus é real e faz parte do dia a dia dos nossos irmãos.

 

Segundo a Revista da Junta de Missões Mundiais (JMM) a intolerância religiosa não para de crescer em todo o mundo. Organizações internacionais afirmam que 100 milhões de cristãos estão enfrentando algum tipo de hostilidade e perseguição religiosa, vinda de diferentes lados: autoridades, sociedade e família. Esse fato muda radicalmente a nossa maneira de viver como cristãos. Saber que vários irmãos ao redor do mundo morrem pela causa do evangelho, faz com que a nossa liberdade de testemunhar a nossa fé seja mais valorizada, ou pelo menos deveria ser. Ainda segundo a JMM, há pessoas em todo o mundo que perdem seus empregos, são expulsas de casa, são presas, agredidas, torturadas ou simplesmente hostilizadas porque são cristãs. Nós como parte do corpo de Cristo precisamos sentir as dores dos nossos irmãos que estão passando por todo esse sofrimento! Será que temos dado ouvidos a voz dos nossos irmãos que pedem ajuda? Será que temos sentido a dor deles? Não podemos negar o que a palavra do Senhor fala:

 

"Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele"

1 Coríntios 12:26

 

A igreja que sofre é composta por missionários, pastores e membros que são mortos ou acusados de terrorismo simplesmente por levarem o evangelho e a mensagem de paz em zonas de conflito entre traficantes, milícias, etc. Ela é formada por pessoas como eu e você, famílias como as nossas, pessoas que são amadas e queridas como os irmãos da nossa igreja local. Mas em meio a esse quadro de medo, perseguições e mortes é que percebemos o quanto a fé de cada um desses nossos irmãos se torna mais inabalável e seu caráter em Cristo um exemplo para nós de como o Senhor deve ser honrado e servido.

 

Diante de tudo isso não podemos ficar parados sem ação, precisamos agir em favor dos nossos irmãos, pois milhares são mortos a cada ano. Além disso vamos também aprender com eles a sermos fiéis a Jesus até o fim, mesmo que isso custe a nossa vida.

Vamos entender o que de fato significa ser um cristão perseguido.

 

Perseguição aos cristãos é qualquer hostilidade por parte do mundo como um todo, como resultado da identificação do indivíduo como cristão. À partir de assédio verbal, sentimentos hostis, atitudes e ações agressivas, os cristãos em áreas com restrições religiosas graves pagam um alto preço por sua fé.

 

Quando usamos o termo “Igreja Perseguida” ou “Igreja que Sofre” estamos nos referindo aos cristãos perseguidos por sua fé, aquela parte da Igreja, do corpo de Cristo, que sofre restrições, perseguições, prisões ou até mesmo a morte por crer em Jesus Cristo.

 

De acordo com o Centro de Pesquisas Pew, mais de 75% da população mundial vive em áreas com restrições religiosas graves (e muitas dessas pessoas são cristãos). Além disso, de acordo com o Departamento de Estado dos Estados Unidos, os cristãos em mais de 60 países enfrentam perseguição por parte de seus governos ou vizinhos que os cercam simplesmente por causa de sua crença em Jesus Cristo. Segundo a Revista da Junta de Missões Mundiais (JMM) é na faixa do planeta conhecida como Janela 10/40 que falar de Jesus pode custar a própria vida. Um exemplo disso são os muçulmanos convertidos ao cristianismo que são marginalizados pela sociedade e pela própria família e correm sério risco de serem presos, e até mesmo mortos.

Segundo o Portas Abertas – organização interdenominacional que presta apoio a cristãos perseguidos ao redor do mundo - A falta de direitos humanos básicos é outra parte importante de perseguição em alguns países. Por exemplo, na Eritreia, há violações da liberdade de expressão, de reunião e crença religiosa e de movimento, além de execuções extrajudiciais, desaparecimentos forçados, detenções prolongadas, tortura e serviço nacional por tempo indeterminado de cristãos, que faz com que muitos eritreus fujão do país.

 

A Bíblia nos chama a ser uma voz dos sem voz. Salmo 82:3 diz:

 

"Levante-se para aqueles que são fracos e para aqueles cujos pais morreram. Veja por que aqueles que são pobres e os que estão abatidos são tratados de forma justa."

 

Como cristãos, somos chamados a tomar uma posição quanto a situação dos nossos irmãos e irmãs em Cristo que são perseguidos. Hebreus 13:3 diz:

 

"Continue a lembrar dos presos, como se você estivesse junto com eles na prisão, e dos maltratados, como se vocês mesmos estavam sofrendo."

 

Há algo sobre as dificuldades que nos permite conhecer a Deus profundamente. Quando os tempos são realmente difíceis, descobrimos mais sobre quem é Deus e como Ele opera. Os cristãos que sofrem perseguições por sua fé, sabem disso muito bem, e ao serví-los nos tornamos participantes de toda essa experiência. Sabemos que não há respostas fáceis do por quê Deus permite que seus seguidores enfrentem o sofrimento. No entanto, a vida dos cristãos perseguidos é testemunho de que, mesmo quando as coisas parecem fora de controle, crentes podem descansar seguros, sabendo que Deus ainda está no domínio de tudo, pois só Ele é capaz de dar coragem, paz e até mesmo alegria de estar forte em meio à tempestade. E é justamente através destas tempestades que os crentes descobrem o amor de Deus de maneira nova e poderosa.

 

“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”- Salmos 46:10

 

Além de descobrirmos o imenso poder do Senhor em meio às perseguições que nossos irmãos enfrentam, aprendemos também que o perdão é constantemente praticado em todas essas situações. Servir nossos irmãos é aprender a perdoar quem nos machuca, quem literalmente nos fere, pois a Perseguição requer extremo perdão, como nos ensina uma irmã iraniana:

 

"Eu só tinha ódio no meu coração para meus inimigos que assassinaram meu marido. Mas um dia aconteceu um milagre. Deus me ensinou como eu poderia amar os meus inimigos... Eu havia orado por isso, e aos poucos, através de um processo de altos e baixos, Deus respondeu a esta oração."

 

Percebemos assim que não importa de qual país nossos irmãos perseguidos sejam, sempre iremos aprender com eles a amar ao Senhor de forma mais profunda. A igreja perseguida e a igreja livre não são duas entidades separadas, mas são um só corpo. A igreja perseguida precisa da igreja livre para apoiá-la e, sobretudo, para levantá-la em oração. A igreja no mundo livre aprende lições com os perseguidos que se destacaram diante de todas essas situações. Cristo é a cabeça do corpo e usa ambas as igrejas de forma única e poderosa, e assim descobrimos o valor que cada membro possui. Nossos irmãos muitas vezes se sentem isolados e sozinhos, uma vez que eles são incapazes de terem comunhão com outros crentes. No entanto, as nossas orações levam até eles a mesma quantidade de estímulo que a comunhão pessoal teria. A oração é vital, não apenas como uma linha direta com Deus, mas como uma forma de incentivar os nossos irmãos e irmãs perseguidos em todo o mundo a permanecerem firmes até o fim.

 

Somos todos um. Há somente um Corpo de Cristo no mundo, uma comunidade de cristãos, não importa a distância geográfica e a cultura local. Fazer parte deste corpo, ou seja, desse grupo de cristãos, significa estender a mão, conhecer, orar, socorrer e aprender com sua fé. Por isso desafiamos você a agir em favor dos nossos irmãos e também a serví-los com todo a sua fé, esperança e amor.